Criando uma Landing Page para aumentar suas conversões

Muitas empresas ainda focam apenas em sua homepage como estratégia virtual. Porém, as empresas mais bem sucedidas, com estratégias eficientes de tráfego sabem que boa parte dos visitantes chegam até eles por outras páginas.

Essas páginas podem incluir tanto páginas comuns do site, como categoria e produtos quanto landing pages otimizadas para maximizar a conversão de leads, quando são usadas estratégias de imbound marketing, como SEO, Google Ads e mídias sociais para atração de visitas.

Sabendo disso, empresas de diversos segmentos já estão se adaptando às novidades e estão criando landing pages otimizadas para atrair mais leads e aumentar as suas conversões. E, nesse artigo, você verá como pode conseguir fazer a sua própria landing page e aumentar as suas conversões.

Então, se você quer construir a “landing page perfeita”, te daremos 12 dicas nesse post sobre como você pode criar uma landing page que converte de verdade.

A definição de landing page

Antes que olhemos para as melhores práticas em detalhes, devemos olhar para as definições de landing page.

Nem todo mundo conhece esse jargão e, na verdade, a resposta também não é simples. Uma definição concisa de landing page seria:

Páginas específicas de um web site criadas para visitantes que chegam através de campanhas de marketing e são estruturadas para conseguir atingir um objetivo de marketing específico.”

Qualquer página que pode ser referida como uma landing page é criada com o objetivo de maximizar a conversão de visitantes para uma página ou série de páginas com o fim de vender.

Tipicamente, o objetivo é levar o visitante a uma ação, geralmente através da captura de dados onde o visitante preenche um formulário e se torna um lead.

Os osbjetivos de uma landing page

Landing pges eficientes são aquelas que atingem seus objetivos, então vamos começar com os osbjetivos mais comuns.

Muitas vezes, os objetivos de uma landing page não são pensados corretamente o que pode afetar a efetividade de uma campanha de marketing.

Os objetivos de comunicação mais comuns em ordem de importância são:

  • Conseguir registros para gerar leads, o que em última instância leva a vendas.
  • Criar um perfil e qualificar os visitantes de um site para entregar peças de marketing mais relevantes (follow-up)
  • Explicar a proposta de valor oferecida por uma companhia para se diferenciar de outros sites que o mesmo visitante pode visitar durante a jornada de compra. Geralmente isso compreende o atendimento às dúvidas e dores do cliente.
  • Comunicar os valores de marca da empresa que está fazendo a campanha.
  • Se o visitante não quer informar seus dados no momento, entregar dados de contato para canais de vendas tradicionais como o número de telefone ou dar ao visitante razões para retornar ao site ou engajá-los atrvés de outros conteúdos relevantes ou ofertas.

É importante saber esses objetivos já que, muitas vezes apenas os dois primeiros objetivos relacionados a dados são levados em consideração no planejamento de uma landing page.

Porém, os outros objetivos secundários são igualmente importantes. A maioria dos visitantes de uma landing page não convertem, todo modo é importante que eles tenham uma experiência favorável.

Tipos diferentes de landing page

Temos que ter em mente que existem muitos tipos diferentes de landing pages que funcionam melhor dependendo dos objetivos da campanha e se ela é de curto ou longo prazo.

Existem três escolhas principais. A primeira é uma landing page integrada na estrutura do site e consistente com o design e navegação deste.

A segunda é uma landing page única criada especificamente para uma campanha, com um tema diferente e com os menus de navegação retirados.

A terceira é uma página que abre em outra aba ou página e que possui mais informação. Geralmente essas páginas são microsites ou hotsites mais elaborados.

Vamos ao prós e contras dessas opções:

Opção 1: Landing pages integradas na estrutura e estilo do site

Essa é a opção mais eficiente em termos de esforço em criação de conteúdo tornar a landing page parte da arquitetura do site.

O problema é que elas podem não funcionar tão bem em termos de converter tanto indicações diretas quanto visitantes navegando para outras páginas do site.

Elas também demandam um esforço maior para otimização nas pesquisas, o que pode aumentar os custos de uma campanha.

Opção 2: Landing pages que não são parte da estrutura principal do site

Essas são usadas quando uma página mais simples, que foca apenas em converter visitantes através de campanhas de marketing, é necessária.

Como uma alternativa, se é uma campanha de curto prazo focada em branding, então ela deverá ser mais direta para criar um microsite separado do site principal com uma aparência diferente.

Isso muitas vezes acontece quando os recursos não são suficientes para criar um microsite dentro do site principal, ou é sentido que a aparência do site não parece entregar o impacto de marca esperado.

Então, essa abordagem é usada porque ela pode ser potencialmente capaz de produzir maiores taxas de conversão ou produzir um microsite mais consistente com os objetivos de campanha e estilo.

As desvantagens com essa abordagem requer maior esforço e manutenção e muitas vezes resultam em experiências de usuário mais pobres já que as páginas parecem e trabalham diferentemente do resto do site.

Se é um site completamente separado com um domínio separado, uma grande desvantagem dessa abordagem é devida ao efeito sandbox do Google, já que o domínio pode não ser incluidos nas buscas por vários meses. Por isso, recomenda-se que o site seja incorporado ou redirecionado ao mesmo domínio do site.

Opção 3: Microsites com várias páginas ou landing pages em hotsites

Existe um problema com a opção dois, muitos visitantes da página não estarão no momento certo do ciclo de compra para converter.

Sim, uma landing page assim aumentará a conversão de visitantes por causa de sua simplicidade, escolhas limitadas e mensagens simplificadas, mais isso não oferece informações suficientes para para os visitantes que não estão em “modo de compra”.

Criar um hotsite, site promocional ou qualquer landing page assim, poderá aidiconar mais informações que podem ajudar o cliente a realizar a ação pretendida. Essa escolha é, porém, mais cara.

Contudo, as companhias precisam entender se o custo de produzir uma landing page mais elaborada compensa a maior taxa de conversão e melhor resultado de campanhas.

Apesar da abordagem ser surpreendentemente comum, parece que o modelo tradicional de landing page é mais escolhido pela conveniência, o que pode transformá-la em mais cara no longo prazo.

Entretanto, não existe abordagem certa ou errada e uma estratégia híbrida pode ser usada, com a criação de landing pages apenas para campanhas de marketing offline ou campanhas genéricas no Google Ads com alto volume e alto custo.

 

E-Book Grátis

 

A home page pode ser uma landing page

Entenda que uma landing page pode ser mesmo a homepage, apesar dessa não ser a geralmente a melhor prática.

Mas, se uma companhia tem um portfolio limitado de produtos ou se o objetivo da campanha é gerar consciência de marca, mais do que respostas, esse método pode ser útil.

Diferentes tipos de indicações

Para tornar uma landing page realmente eficiente, precisamos pensar através do amplo número de páginas de onde uma visita pode originar originar. Existem três origens principais que precisamos ter em mente ao criar uma landing page:

  1. Presença em mídias online: Os visitantes podem ser enviados ao clicar em qualquer plataforma online, como o buscador, anúncio online, site de afiliados ou campanhas de e-mail.
  2. Presença em mídias offline: Anúncios offline ou mala direta podem ter uma URL de campanha específica. Também podem ser usados QR Codes em produtos ou anúncios visando levar clientes à landing page.
  3. Visitantes que navegam de outra parte do site: Esses visitantes não estão usando a página como landing page, mas ainda assim precisam ser atendidos, especialmente se você está usando uma estratégia de “deep links”.

Fatores de sucesso de uma landing page

Para ser efetiva, uma landing page deve combinar os seguintes fatores:

  • Usabilidade
  • Acessibilidade
  • Persuasão
  • Desenvolver confiança na marca

12 fatores de uma landing page de sucesso

Finalmente, antes que comecemos a falar dos fatores de sucesso, lembre-se que esses fatores são apenas sugestões, não regras, e assim, sempre haverão exceções.

A única forma de se certificar de que funcionam com a sua audiência e seu mercado é conduzindo teste, como estudos de usabilidade, testes A/B ou testes de multivariantes. Ter as ferramentas de analytics certas é vital para isso.

Pelo menos você precisa ser capaz de visualizar dados como a taxa de rejeição e taxas de conversão para diferentes fontes de tráfego.

O ideal é que você também seja capaz de completar testes A/B onde diferentes visitantes vejam diferentes páginas para que você possa medir as diferentes taxas de rejeição e conversão.

Lembre-se também de que existem variáveis que devem ser levadas em consideração na elaboração de uma landing page. O correto é que ela seja responsiva, de modo a se adaptar a telas de diferentes tamanhos.

Sem mais delongas, vamos aos 12 fatores de uma landing page de sucesso.

1. Entregue relevância

Diferente das visitas casuais a um site, os visitantes que chegam a uma landing page têm algum objetivo ou direção na mente.

Portanto, a primeira coisa que você deve fazer é mostrar a relevância da sua página para que os visitantes consigam atingir seu objetivo.

Um título claro deve mostrar relevância e também motivar o visitante a visualizar toda a página. Você precisa mostrar que eles escolheram o lugar certo para encontrar a marca, produto, negócio, informação ou experiência que estão procurando, então o seu título deve indicar isso.

Outras mensagens-chave devem ser facilmente escaneáveis através da escolha dos títulos e intertítulos corretos e de divisões de texto fáceis de ler.

Alguns testes mostram que fontes maiores dão melhor resultado.

Já que atingir a landing page é geralmente a primeira experiência com uma companhia, nós temos que responder a algumas perguntas básicas que o consumidor tem sobre a empresa como:

  • Quem são vocês?
  • O que vocês fazem?
  • Onde estão localizados?
  • Eu confio em vocês?

Você deve responder as questões de forma simples e acessivel. A sua landing page permite isso? Ter alguma opção de menu como “Sobre nós” e “Fale Conosco” são suficientes.

2. Integração com fontes de tráfego

A jornada do cliente para o seu site começou em algum lugar. Para conseguir entregar relevância você vai precisar ser consistente com o que sua audiência já sabe e conseguir atingir as expectativas deles.

Então, em termos de mensagem, branding e criatividade, a landing page precisa ter uma comunicação integrada. Isso se aplica particularmente aos anúncios offline, anúncios interativos e e-mails.

A mensagem chave na landing page precisa estar em sintonia com a mensagem-chave da fonte de tráfego. Então, novamente, se você precisa mostrar ao visitante que ele escolheu o lugar certo para encontrar a marca, produto, negócio, informação ou experiência que está procurando, o seu título deve indicar isso.

3. Detalhar corretamente para apoiar a decisão desejada

Toda a experiência e conteúdo precisam estar certos para gerar uma resposta. Na prática, um dos mais importantes aspectos de uma landing page, e um dos maiores erros, é a quantidade de informações detalhadas (ou a falta delas) que o visitantes precisa para se decidir.

Para ajudar a entender o nível certo de informação, a melhor prática é usar personas para identificar informações típicas sobre o público que você vai atender.

Pense também sobre o nível de conhecimento da área que esses visitantes possuem, sua descrição técnica do produto é suficiente? Precisa mudar alguma coisa? Acrescentar informação?

4. Inicie a jornada do usuário

O design deve tornar o próximo passo claro e minimizar o número de cliques necessários para uma resposta já que cada clique extra reduzirá as chances de conclusão em 10%.

A melhor prática é incluir a captura de dados iniciais ja na primeira página.

Se o mecanismo de resposta está em outra página, use múltiplos CTAs (Call-To-Action) para conseguir mais respostas já que alguns usuários tendem a clicar em imagens e hyperlinks de texto.

Torne todas as imagens clicáveis, por exemplo, fazendo elas parecerem botões.

Algumas abordagens de formulário que podem melhorar a jornada:

  • Limitar as opções por página é uma técnica eficiente.
  • Conseguir atenção nos primeiros 30 segundos através de um título direto.
  • Se é uma página multi-formulários, então mantenha os usuários conectados com questões iniciais simples.
  • Permita que o formulário seja salvo parcialmente durante o processo de orçamento
  • Foque em grupos de usuários para testes, assim você não irá negligenciar fatores que são importantes paraos clientes

As palavras usadas nos CTAs são críticas para criar um caminho pelo qual o usuário irá seguir. Uma trilha eficiente leva o usuário até aonde ele deseja chegar ou atingir.

5. Use o comprimento de página certo

Essa é um pouco difícil de criar regras. O tamanho certo da sua página é aquele que minimiza a diferença de conhecimento entre o que o usuário deseja saber e aquilo que você diz a ele.

Alguns designers sugerem que o conteúdo deve caber em uma página que caiba em uma resolução 800 por 600. Porém, um copy curto é inconsistente com o primeiro fator.

Na prática, quando um usuário deseja saber mais sobre o produto ou serviço que lhe interessa ele rola a página para saber mais. Claro que, para maior resultado, o ideal é incluir as informações mais relevantes na primeira parte.

Para resumir, tente fazer uma versão curta (para pessoas mais impulsivas) e outra mais longa (para aqueles que gostam de ler mais).

É claro que a melhor maneira de saber o comprimento certo é testando.

6. Use conteúdos gráficos interessantes

Conteúdos gráficos devem ser consistentes com a campanha e gerar empatia com a audiência.E não subestime a importância da qualidade desse conteúdo.

É difícil de entender quanto os gráficos influenciam na taxa de conversão, portanto, recomendamos que você teste, teste e teste para ter uma ideia do que funciona melhor para o seu site e audiência.

7. Remover opções de menu?

Um outro fator que causa discórdia. Remover as opções de menu podem aumentar as taxas de conversão a partir do momento que você reduz a quantidade de páginas que o usuário pode clicar.

Mas, para outros usuários, essa pode ser a escolha errada, já que assim terão menos informações disponíveis prejudicando a confiança e a experiência do usuário.

O que recomendamos é que landing page tenha poucas opções de página e estas estejam localizadas no topo da página apenas.

8. Considere usar um design responsivo

Esse layout maximiza a impressão do usuário em qualquer resolução em dispositivos diferentes. Assim, independente da plataforma utilizada a experiência será semelhante.

Ter um design responsivo deve ter um desempenho melhor ao se adaptar ao usuário. Lembre-se porém de verificar o design durante a sua concepção.

9. Lembre-se de otimizar seu marketing para buscas

Existem três aspectos para isso. Primeiro uma campanha offline irá levar pessoas a pesquisar sobre a sua marca ou pelo slogan da campanha. Use tráfego pago para dirigir visitantes a páginas relevantes particularmente durante a campanha.

Segundo, se a landing page está integrada no web site e será usada no longo prazo, otimize ela para frases-chave relevantes.

Em terceiro lugar, o Google envia um robô chamado “AdbotsGoogle” para testar landing pages por relevância e velocidade, portanto saiba se seu título, intertítulos e o corpo da sua página incluem as palavras-chave que está usando em seu anúncio

10. Não esqueça dos inativos

Dê uma escolha para quem não responder apesar da sua cuidadosamente criada landing page. Inclua um número de telefone ou mesmo uma opção de chat.

Também inclua opções para que eles procurem ou naveguem em outras partes do site.

11. Tente, Meça e Ajuste

A efetividade de um conteúdo online deve ser revista e melhorada continuamente seja como um processo periódico ou como um processo ad hoc.

Como a web é um meio novo e as plataformas de acesso, comportamento dos usuários e a abordagem dos competidores muda continuamente, o que funciona no início de um ano pode não funcionar no final.

Hoje, usar testes A/B ou multivariáveis em ferramentas como o Google Website Otimizer é uma parte essencial da otimização de landing pages.

12. Considere a longevidade de uma landing page

As landing pages são geralmente usadas em campanhas de curta duração. Se esse é o caso, você precisa gerenciar corretamente quando os links que levam até a landing page expirarão.

Os riscos envolvem oferta vencidas e visitantes acessando URLs que não estão mais ativas. O uso de uma página de erra personalizada é essencial para reduzir esses problemas.

Considerações finais

Lembre-se que sempre haverá exceções para dicas e sugestões e alguns sugerem que muitas das dicas mais usadas em landing pages são mitos.

Sempre use dados para se melhorar o processo de tomada de decisão na construção e aperfeiçoamento de sua landing page.

Se você deseja receber ajuda profissional na construção e aperfeiçoamento de sua landing page ou deseja faer o lançamento de um produto, procure ajuda profissional.

Aqui na Gauss Marketing Digital nós oferecemos esse serviço e, caso você queira capturar mais leads e aumentar as suas conversões, clique no botão abaixo e fale gratuitamente com um de nossos consultores para conhecer as nossas soluções.

 

nossos consultores

Deixe um comentário